PS Move vs. Kinect

PS Move vs. Kinect

Kinect versus Ps Move

Controles por movimento são a moda do momento, podemos falar o que for, porém o Wii começou uma nova era nos video games, mostrou que é divertido se mover um pouco mais para conseguir atingir seu objetivo no jogo.

Na minha singela opinião, o controle por movimento trouxe duas grandes vantagens: jogos de dança e enfim poder jogar seus FPS como fazia nos antigos fliperamas. Jogos de dança para o Wii são bem simples, apenas balance o controle e irá conseguir ótima pontuação, falo isso pois já tentei em Michael Jackson, The Experience. Mas jogos como Resident Evil 4, House of Dead e Call of Duty fizeram valer a compra do meu Wii, mesmo sabendo que era uma plataforma com hardware de vídeo já ultrapassada, mas eu acredito que a diversão não pode ser medida apenas pelo número de pixels na tela.

Eis que para não ficar para trás deste novo mundo, Sony e Microsoft lançaram seus próprios periféricos de movimento. O PS Move é uma cópia deslavada do Wii Mote, porém com sua precisão melhorada, até aí tudo bem, copiou, mas melhorou o sistema, tem meu respeito. Já a Microsoft quis realmente inovar e tirou de trás da orelha que o usuário não quer mais controles: eis que surge o Kinect.

Só para deixar claro, tenho um Xbox com Kinect, por isso, nada de me chamar de Sonysta.

Acompanhado o Kinect veio o game Kinect Adventures, que é honesto e bem divertido, mesmo sabendo que foi talvez o primeiro jogo com suporte para a câmera, dá para sentir que o dispositivo e o jogo foram muito bem alinhados.  Ao contrário do Wii Sports, que mesmo depois de um ano com meu Wii ainda não conseguia jogar tênis. O Kinect transformou o Xbox de um video game para quem não tem amigos para uma ótima plataforma de diversão em festas no seu apartamento. Como sou um fanfarrão, também adquiri o Dance Central para o Kinect, e falo, para quem estava acostumado com jogos de dança para o Wii, Dance Central é uma nova experiência. Agora você realmente precisa dançar para conseguir a pontuação desejada, suar bastante, e ainda se sentir meio rídiculo ao dançar sozinho no meio da sala. O jogo tem gráficos bem feitos, uma ótima seleção de músicas e ainda um jogo bonito de se jogar, redondinho, o único problema é a falta de um controle para bater contra o sofá ao ver que não conseguiu as 5 estrelas no final da música.

Mas como falei no começo do texto: Por que a Microsoft achou que não queremos mais controles?

Acho revolucionário a captura do movimento, e foi genial a apresentação de Mass Effect e Ghost Recon Future Soldier na E3, ótimas utilizações do joystick e do controle de voz do Kinect, tornaram os jogos mais dinâmicos e divertidos, mas jogar Call Of Duty com o indicador para frente como você fazia quando era criança não tem lá muita graça né? E a linha de jogos lançados? Realmente não querem que os gamers hardcore comprem o periférico, uma lista que deveria ser repensada. Muitos falam do problema de movimentação, em como o jogador fará o personagem andar, até aí uma dúvida boa. Parece que conseguiram acertar com Rise of Nightmare, um sistema de colocar o pé para frente e para trás, uma pena ter ganhado notas tão baixas dos críticos, esqueceram do principal do jogo, uma boa história.

Microsoft, fica minha pergunta: você acha que prefererimos jogar Halo com uma arma de plasma com luzes piscantes (leia de plástico) como um bom Soldado Spartan ou então apontando o dedo para tela imitando um cowboy na infância. Resposta simples não?

[youtube video=ynozVVHeBMI]

Previous Simulador de Battlefield 3 quem quer?
Next O melhor vídeo-game do mundo é o seu

You might also like

Demo de Ni no Kuni hoje na PSN

Nesta atualização da PSN estará disponível o demo de Ni no Kuni. Para quem não conhece Ni no Kuni: Wrath of the White Witch é um RPG misturado com animação, desenvolvido em parceria da Level 5 Games com o Studio Ghibli.

Filme de Heavenly Sword em produção. Veja o trailer

Heavenly Sword é um dos exclusivos clássicos do PS3 e um ótimo jogo também, vindo da época pré God of War do Ps3, Heavenly Sword mostrou-se a altura de um dos maiores clássicos dos videogames atualmente.

Retrogames: Krusty fun house

Não é só jogos memoráveis habitam nosso passado distante, antigamente lançavam qualquer coisa que consideravam que podia arrecadas uma boa grana, nem que fosse somente por causa do nome ou dos personagens envolvidos em um jogo.

Krusty Super Fun House
Fun??

Diferentemente de hoje que encontramos jogos de personagens bons que são mal feitos como a maioria dos jogos de super-heróis de hoje, excluindo Batman claro.